terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Porque não tenho twitter

Estou ansiosa por fazer um grande texto sobre a (eterna) discussão sobre a reforma política, mas tenho algumas dissertações no caminho. Por isso, vai demorar mais um tanto.
Hoje, no entanto, no meio de uma leitura, ouvi falar do comentário sobre o Ronaldo e o Sarney no twitter oficial do STF -  "Ouvi por aí: 'agora que o Ronaldo se aposentou, quando será que o Sarney vai resolver pendurar as chuteiras?" E é por essas e outras que não tenho twitter: é muito rápido, você não pensa duas vezes antes de mandar. E daí, vez ou outra, escapa algo assim. Melhor só o blog, que te exige um certo tempo para escrever e para refletir.
Volto às obrigações acadêmicas e deixo o fuxico de lado.

Um comentário:

O'Hara disse...

Permissão para discordar, caríssima. O twitter exerce uma função de "vitrine" dos blogs. Vários e interansantíssimos, registre-se, conheci por intermédio do "microblog". Você deveria, sim, ter um twitter, faria muito bem aos seus seguidores. Enquanto você não está lá, sigo-te aqui!